Entrevista: JaeJoong na edição de fevereiro da Harper´s BAZAAR 

em

Os danos e as brincadeiras de Kim JaeJoong

As piadas de Kim JaeJoong possuem um lado levemente sério. Um homem cuja disposição e boa vontade em fazer sacrifícios são notáveis. Nós nos encontramos com Kim JaeJoong,  alguém que vive de correr riscos imprevisíveis, e cujo encanto nós podemos nos identificar.

Quando a segunda parte da sessão de fotos foi finalizada, Kim JaeJoong disse que estava com vontade de tomar um drink naquele momento. Oito de janeiro, dia da sessão de fotos, foi o dia que antecedia o primeiro episódio do drama ‘Spy’, da KBS, que é o primeiro drama de Kim Jaejoong a ir ao ar desde ‘Triangle’. Ele disse que iria se encontrar com outros membros do elenco para assistirem ao primeiro episódio juntos, e acrescentou que também seria ótimo se pudessem estender a noite e tomar um drink. Apesar de acreditarmos que cada produção seja especial, nós tivemos a impressão de que ‘Spy’ tem um significado específico para Jaejoong. Não apenas por ser a primeira minissérie a ir ao ar em uma sexta feira, mas também por ser a primeira produção em que ele conduz toda a história como o grande protagonista, ao invés de ser o ‘personagem coadjuvante que tem a importância de um protagonista’.

Uma mãe que esconde o fato de que ela era uma espiã, um antigo colega de trabalho que vem procurá-la, e um filho que esconde da família que trabalha no Serviço Nacional de Inteligência (NIS). Neste drama, soterrado por camadas sobre camadas de segredos, Kim JaeJoong interpreta o papel de ‘Kim Seon Woo’, o filho que se encontra no centro de todos os conflitos e segredos da trama. Ele enfrenta o dilema de não apenas enganar a sua mãe, que é uma espiã, mas também de capturá-la. “Quando eu li o roteiro pela primeira vez, eu sabia que seria fantástico. Eu achei interessante que esse drama já começa com tudo estabelecido, enquanto a maioria dos dramas progridem do 1 ao 10 lentamente. Ao invés de parecerem fillers, cada episódio tem o ritmo de um filme, cheio de suspense e tensão. Eu escutei o que os outros atores que já haviam sido confirmados  para o drama tinham a dizer, e eu sabia que eu tinha de me juntar a eles.”

Kim JaeJoong contracena com atores talentosos como Bae Jong Ok, Yoo Oh Sung e Jo Dal Hwan em ‘Spy’. Não é fácil transitar do filho adorável que diz para a mãe (Bae Jong Ok) que não aprova a sua namorada “Sabe por que eu gosto da Yoon Jin? Porque ela me lembra você” para o calculista agente da NIS. Trabalhar com um grupo de veteranos talentosos ajudou Kim JaeJoong a analisar e compreender o seu personagem.

“Eu não posso dizer que entendi perfeitamente como funcionava a história, o interior do meu personagem antes de começarem as filmagens. Ao invés disso, eu diria que eu aprendi a entender Seon Woo naturalmente, ao trabalhar com os meus colegas de elenco. A descrição do personagem diz que Seon Woo deveria ser um filhinho da mamãe, quando na verdade ele é um filho que está lidando com vários traumas, e não um pirralho mimado. Por a sua mãe ser uma espiã, ela queria viver uma vida normal mais do que qualquer outra coisa e cuidar da sua família. A mãe de Seon Woo é determinada em seguir esse caminho, e é extremamente protetora em relação a ele, e eu acho que muito dele tem influência disso. Tem uma cena em que a mãe de Seon Woo o recebe em casa e carrega a mochila para ele. Naquela cena, ele a deixa fazer isso porque ela quer, e não porque ele é um moleque mimado que não quer carregar a própria mochila.”

Agora que pensamos sobre isso, o caminho seguido por Kim JaeJoong é único. Ele não fez dramas para pavimentar sua posição como ator, ou aceitou determinados papéis para mostrá-lo como um cara descolado; ele atuou até mesmo em um drama histórico, o que é bem distante da sua imagem de celebridade que dita tendências. Pense em ‘Kim Kyung Tak’, o oficial inflexível em ‘Dr. Jin’, ou ‘Heo Young Dal’, um homem que ficou de joelhos e pediu por piedade em ‘Triangle, ou ‘Choi Hyun’, que teve que controlar o funcionamento do seu corpo na frente da assassina Jackal (Song Ji Hyo). Estes são personagens únicos, mas muito diferentes entre si para criarem uma imagem definitiva de Kim JaeJoong como ator.

Para ser honesto, eu realmente quero mergulhar em um novo drama assim que eu não estiver mais imerso no que eu estou fazendo no momento. Também é verdade no que se refere a aceitar um papel ou criar uma imagem para mim mesmo. É da natureza humana querer explorar o máximo daquilo que você faz de melhor. É assustador tentar algo novo quando o que você está fazendo no momento está indo tão bem. Mas eu não gosto de me limitar a apenas uma coisa só. Eu corro muitos riscos porque meus fãs querem ver variedade naquilo que eu faço. Qual maluco você vê por aí cantando rock em um dia e R&B no outro, aceitando esse papel e aquele outro, além de mim? Não é que eu seja um explorador ou algo do tipo (risos). Mas no final, eu encontrei a felicidade ao apreciar a variedade de escolhas que a vida traz. Existem várias coisas que eu gosto hoje, que eu não esperava que eu fosse fazer no começo da minha carreira.”

Se o que o incentiva são os fãs ou uma inclinação natural, Kim JaeJoong parece ser o tipo de pessoa que se diverte com desafios. Seu primeiro álbum solo ‘WWW’ é voltado para o rock, gênero que já foi tabu entre cantores ídolos, e foi uma escolha ousada que o mostrou em sua melhor forma. Melodias poderosas foram criadas junto de estrelas do rock como Yoon Do Hyun e Kim Bada, maquiagem esfumaçada e um corpo esguio vestido no estilo Saint Laurent combinam tanto com Kim JaeJoong, que parece que todo o gênero foi feito especialmente para ele.

“Eu me sinto mais livre quando estou no palco sozinho. Mas não significa que ser mais livre é o mesmo que ser mais feliz. Uma apresentação do JYJ é criada em conjunto, mas estar sozinho no palco me dá a liberdade de fazer o que eu quiser, mesmo que eu queira me sentar ou deitar no chão durante uma música. Se você pensar sobre isso, atuação consiste no personagem e nas posições de câmera que são passadas para você. Seria legal poder interpretar qualquer personagem que me fosse dado com uma variedade de expressões faciais e ao mesmo tempo, manter a essência que me torna único, mas eu ainda não sou bom o suficiente para fazer isso (risos)… Eu ainda não cheguei naquele ponto em que posso dizer que me sinto livre enquanto atuo. Você precisa trabalhar duro para se tornar o personagem enquanto você atua, mas com a música, não importa o gênero, eu posso ser exatamente quem eu sou.”

Na entrevista que durou por volta de uma hora, o tópico mais abordado foi, claro, seus fãs. Embora muitas celebridades formem uma conexão próxima com seus fãs, nós acreditamos que podemos dizer que o laço entre Kim JaeJoong e seus fãs é especial. Apesar dos problemas com uma agência que o mantém fora de programas de rádio e TV, e ocasionais conflitos com alguns fãs, a conexão entre eles parece ser mais forte do que nunca. “Meus pais provavelmente ficarão de coração partido se eles me ouvirem dizendo isso, mas eu estou considerando a hipótese de não me casar.” Mas assim como aconteceu com vários ídolos no passado, a paixão e o amor que os fãs sentem por ele não vai se dissipar com o passar do tempo?

“Claro, muitos veteranos já me aconselharam realisticamente sobre isso. ‘Popularidade não dura para sempre, então trabalhe duro enquanto você é jovem e faça muito dinheiro. ‘ (risos) É verdade que quando éramos novatos no ramo, praticamente nos deram um manual dizendo que nós deveríamos dizer aos fãs que nós ficaríamos juntos para sempre, mesmo que isso fosse uma mentira. Mas quanto mais o tempo passa, a sinceridade entre nós só tem aumentado. Há momentos em que eu mesmo me odeio um pouco, mas os meus fãs são os únicos que me amam por quem eu sou, não importa o que aconteça. Receber esse amor naturalmente fez com que eu cultivasse uma confiança absoluta neles. Eu nunca quis me sacrificar por ninguém, mas os meus fãs são as únicas pessoas por quem eu me livraria um pouco de mim e cederia“.

Ser conhecido como uma ‘estrela Hallyu’ é estar suscetível a sofrer algum tipo de preconceito. Mas Kim JaeJoong é o tipo de pessoa que prefere conhecer as pessoas do que se esconder em seu camarim. Quando o fotógrafo disse que ele se parece com o cantor e ator japonês Tomoya Nagase, Kim JaeJoong imediatamente procurou por fotos da celebridade japonesa, e compartilhou vídeos engraçados com o fotógrafo. Na área em que ele atua, uma personalidade contagiante importa tanto quanto as habilidades profissionais. Sua atitude proativa e determinada é algo que ele cultiva desde muito jovem. Apesar de ser o caçula de uma família que conta com oito irmãs, ele não foi criado com mimos.

“Nós não éramos assim tão bem de vida, então eu nunca ganhei mesada dos meus pais. Eu nunca entendi o conceito de ganhar mesada uma vez por mês, então eu arrumei um emprego de meio período em que entregava jornais quando eu estava na sexta série, porque eu queria comprar salgadinhos e brinquedos, assim como os meus amigos. Mas os meus pais me deram uma bronca, porque eles achavam que era um trabalho perigoso… (risos) De qualquer forma, minha família me ensinou que se eu quisesse qualquer coisa, eu teria de trabalhar para conseguir. É esse pensamento que todas as minhas irmãs tem, e elas se formaram na faculdade, arrumaram trabalho e se casaram.”

Apesar de ele ter dito que prefere sair para beber com rapazes porque ele se diverte em conversar por duas ou três horas de cada vez, sendo até mesmo chamado de ‘(cheong)gukjang-nim’ (nota: ‘Cheonggukjang’ é descrito como  ‘구수하다’ que pode significar tanto ‘saboroso’, quando se trata de comida, quanto ‘pessoa pé no chão e engajada’ quando é relacionado à personalidade de um indivíduo), ele também disse que, “É claro que eu também me divirto bebendo com mulheres.” Ele é o tipo de rapaz que dirá sem nenhuma hesitação na voz que seus bens mais preciosos, que ele mantém muito bem guardados, não é dinheiro, mas uma carta e uma conta de dois dólares que ele recebeu como presente, assim como o seu contrato. Suas histórias são cheias de piadas e brincadeiras, com um leve toque de seriedade, porque elas refletem preocupações assustadoras, mas identificáveis.

“Eu tenho o hábito de perguntar a mim mesmo, ‘Você está feliz? ’ Pra falar a verdade, existem tantas perguntas que eu faço a mim mesmo que fica difícil me lembrar delas depois. (risos) Tudo o que eu preciso é manter o foco em mim mesmo e no que eu estou fazendo no momento, mas logo eu me vejo me preocupando com outras coisas como porque alguém fez isso, ou o que vai acontecer depois. Isso fica pior quando eu estou com tempo livre. Eu evito tirar folgas porque a minha mente fica mais tranquila quando eu estou fisicamente exausto. Se eu estou ocupado por me encontrar com as pessoas, sair para beber ou ficar acordado sem razão nenhuma. Recentemente, eu refleti sobre as minhas posses, sobre o que eu possuía e estava sobrando, que não tem tanta importância. Eu fiz uma análise e acabei vendendo algumas coisas. Eu percebi que elas eram inúteis para mim. É esse tipo de coisa sobre o que eu penso demais. (risos)”

Tradução Inglês: dongbangdata.net
Tradução Português: Marilia Carvalho @CandyJJ

NÃO retire sem os créditos.

 

Anúncios

Comente! ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s